quarta-feira, 8 de junho de 2011

Mulheres com pés deformados...China

 


Assim como as mulheres girafas da tribo Padaung (Tailândia,Miamar), colocam argolas em seus pescoços, modificando a anatomia do seu corpo como sinônimo de beleza, as mulheres chinesas foram submetidas a um tipo de modificação corporal extrema, devido a antigas tradições.

No passado, os pés das mulheres chinesas eram considerados estranhos em seu tamanho normal. A beleza e virtude da mulher chinesa estava vinculada ao tamanho de seu pé, que tinha que se assemelhar ao tamanho de uma pequena " flor de lotus".


Esse antigo costume, cruel e bizarro, começou durante a dinastia Sung (960-976Ac), com a intenção de imitar uma concubina imperial, que era obrigada a dançar com os pés enfaixados.

No momento em que uma menina completasse três anos, ataduras eram colocadas em seus pés.Dobravam-se então, os quatro dedos menores até a sola do pé, forçando o calcanhar a entrar,acabando por quebrar os ossos.

O processo era torturante, porém se uma mulher não o fizesse, não conseguiria se casar. Existe um suposto manual do sexo da dinastia Qing, onde são listados 48 maneiras diferentes de jogo de amor com mulheres com pés de lótus. Bizarro!!!


Muitos chineses achavam esses pés eróticos, considerados a parte mais íntima da anatomia das mulheres. Um pé enfaixado com sucesso, tinha de 7 cm a 10 cm. Com isso, as fábricas começaram a fábricar sapatos nessa medida.
A prática faria com que o pé dobrasse imitando uma flor de lótus. Essa tradição cessou no século 20, com o fim das dinastias imperiais e crescente influência da moda ocidental.
As ataduras dos pés de lótus, duraram do século 10 até 1949, quando foi proibida pela nova república chinesa.
Os pés atados deixaram na China inúmeras idosas com deficiência nos pés e sérios problemas de saúde.
É incrível como as mulheres sempre foram relegadas a um segundo plano, fico imaginando o sofrimento de uma criança de 3 anos, tendo os pés enfaixados e colocados em uma forma de madeira. Crueldade sem limites, não vejo onde há beleza nessa atitude.

Nenhum comentário:

obrigada

obrigada